21 nov 2018

FEBRABAN dá dicas de como aproveitar a Black Friday sem cair em golpes virtuais

FEBRABAN dá dicas de como aproveitar a Black Friday sem cair em golpes virtuais

Nem bem novembro começa e os sites e lojas virtuais já se agitam com os anúncios de ofertas e promoções que vem marcando o varejo brasileiro nos últimos anos. A razão de toda essa agitação? A Black Friday.

A mega liquidação tradicional nos Estados Unidos é realizada na última sexta-feira de novembro, um dia depois do feriado de ação de graças. Por aqui, os lojistas costumam seguir o calendário dos EUA. Este ano, no entanto, eles resolveram adiantar a data em uma semana e vão concentrar as ofertas no dia 23.

O que à primeira vista representa uma oportunidade para aproveitar os bons preços e adiantar as compras de natal pode esconder alguns perigos. Quadrilhas aproveitam o momento de euforia com o grande volume de ofertas para aplicar golpes que causam grande prejuízo.

Sites e e-mails falsos, ligações e mensagens são algumas das artimanhas usadas pelos golpistas para enganar as pessoas e ter acesso a informações pessoais, como nome completo, CPF, número de cartões de crédito e dados bancários. Por isso, a FEBRABAN – Federação Brasileira de Bancos sempre orienta a população a redobrar os cuidados nas compras feitas em sites de e-commerce neste período.

Este ano, a entidade ampliou os esforços de divulgação e, a partir da segunda quinzena de novembro, uma campanha veiculada nas redes sociais irá chamar a atenção dos consumidores para os principais golpes existentes e como evitá-los. Clique aqui para conferir o vídeo que faz parte da campanha.

Para Adriano Volpini, diretor da comissão de Prevenção a Fraudes, da FEBRABAN, é muito importante tomar cuidado com as informações compartilhadas, especialmente na internet. Ofertas tentadoras escondem, às vezes, links maliciosos que capturam dados pessoais. “Aquele desconto pode custar caro. Desconfie das promoções cujos preços sejam muito menores que o valor real do produto, pois criminosos se utilizam da empolgação dos consumidores  em fazer um grande negócio para coletar informações e aplicar golpes que geram grandes prejuízos.”

Como o golpe é realizado
A pessoa recebe um e-mail ou mensagem com ofertas tentadoras e atrativas. Ao clicar, ela é direcionada para um site falso. Acreditando ser a página confiável, ela fornece dados sigilosos, como número de cartão de crédito e senhas. Com essas informações, os bandidos realizam transações, burlam bloqueios de segurança, desbloqueiam novos cartões e confirmam dados.

Outro esquema muito utilizado pelas quadrilhas envolve aplicativos maliciosos.  Mais uma vez, a porta do golpe começa com o envio de um e-mail suspeito com um link. Ao clicar, é instalado um vírus e os bandidos ganham acesso ao seu dispositivo. Com essa técnica, comumente chamada de phishing, eles conseguem acessar dados como nomes de usuário e senhas e realizar transações.

Para evitar ser vítima destes tipos de fraudes é importante sempre verificar se o endereço da página é o correto. Uma forma de fazer isso é digitar a URL no navegador ao invés de clicar no link. Além disso, nunca acesse links ou anexos de e-mails suspeitos. Mantenha seu sistema operacional e antivírus sempre atualizados.

Para reduzir os riscos de ser vítima dos golpistas, a FEBRABAN destaca as seguintes orientações:
• Tenha muito cuidado com e-mails de promoções que possuam links. Ao receber um e-mail não solicitado ou de um site no qual não esteja cadastrado para receber promoções, é importante verificar se realmente se trata de uma empresa idônea. Acesse o site digitando os dados no navegador e não clicando no link.
• Ao utilizar sites de busca, verificar cuidadosamente o endereço (URL) para garantir que se trata do site que deseja acessar. Fraudadores utilizam-se de “links patrocinados” para ganhar visibilidade nos resultados de buscas.
• Dar preferência aos sites conhecidos e verificar a reputação de sites não conhecidos, verificando os comentários de clientes que já utilizaram as plataformas.
• Nunca utilize um computador público ou de um estranho para efetuar compras ou colocar seus dados bancários.
• Sempre utilize, em seu computador ou smartphone, softwares e aplicativos originais e mantenha sempre um antivírus atualizado.
Share
20 nov 2018

Sancionada lei que dispensa reconhecimento de firma e autenticação de documento em órgãos públicos.

Sancionada lei que dispensa reconhecimento de firma e autenticação de documento em órgãos públicos.

Fim da obrigação de reconhecimento de firma, dispensa de autenticação de cópias e não-exigência de determinados documentos pessoais para o cidadão que lidar com órgãos do governo. É o que prevê a Lei 13.726, de 2018, sancionada e publicada no Diário Oficial da União desta terça-feira (9). O texto também prevê a criação do selo de desburocratização na administração pública e premiação para órgãos que simplificarem o funcionamento e melhorarem o atendimento a usuários.

A nova lei tem origem no substitutivo da Câmara (SCD 8/2018) ao PLS 214/2014, do senador Armando Monteiro (PTB-PE), aprovado no Senado no início de setembro.

Pela nova lei, órgãos públicos de todas as esferas não poderão mais exigir do cidadão o reconhecimento de firma, autenticação de cópia de documento, além de apresentação de certidão de nascimento, título de eleitor (exceto para votar ou registrar candidatura) e autorização com firma reconhecida para viagem de menor se os pais estiverem presentes no embarque.

Para a dispensa de reconhecimento de firma, o servidor deverá comparar a assinatura do cidadão com a firma que consta no documento de identidade. Para a dispensa de autenticação de cópia de documento, haverá apenas a comparação entre original e cópia, podendo o funcionário atestar a autenticidade. Já a apresentação da certidão de nascimento poderá ser substituída por cédula de identidade, título de eleitor, identidade expedida por conselho regional de fiscalização profissional, carteira de trabalho, certificado de prestação ou de isenção do serviço militar, passaporte ou identidade funcional expedida por órgão público.

Quando não for possível fazer a comprovação de regularidade da documentação, o cidadão poderá firmar declaração escrita atestando a veracidade das informações. Em caso de declaração falsa, haverá sanções administrativas, civis e penais.

Os órgãos públicos também não poderão exigir do cidadão a apresentação de certidão ou documento expedido por outro órgão ou entidade do mesmo poder, com exceção dos seguintes casos: certidão de antecedentes criminais, informações sobre pessoa jurídica e outras previstas expressamente em lei.

Selo de desburocratização

A nova lei ainda tenta racionalizar e simplificar atos e procedimentos administrativos dentro dos próprios órgãos públicos. Esses poderão criar grupos de trabalho com o objetivo de identificar exigências descabidas ou exageradas ou procedimentos desnecessários, além de sugerir medidas legais ou regulamentares para eliminar o excesso de burocracia.

O texto também prevê a criação do Selo de Desburocratização e Simplificação, destinado a reconhecer e a estimular projetos, programas e práticas que simplifiquem o funcionamento da administração pública e melhorem o atendimento aos usuários dos serviços públicos.

O Selo será concedido por comissão formada por representantes da administração pública e da sociedade civil, com base em critérios de racionalização de processos e procedimentos administrativos, eliminação de formalidades desnecessárias, ganhos sociais, redução do tempo de espera no atendimento ao usuário, além de adoção de soluções tecnológicas ou organizacionais que possam ser replicadas em outras esferas da administração.

Serão premiados, anualmente, dois órgãos ou entidades, em cada unidade federativa, selecionados com base nos critérios estabelecidos pela nova lei.

Vetos

Foi vetada, entre outros pontos, a previsão de que órgãos públicos disponibilizem em página de internet mecanismo próprio para a apresentação, pelo cidadão, de requerimento relativo a seus direitos.

A razão para o veto reconhece a importância desse mecanismo, mas alega que requer alta complexidade técnica, o que levaria tempo para a implementação. “O assunto poderá ser tratado posteriormente, de modo mais adequado, sem prejuízo de, exercendo sua autonomia federativa, os demais entes regulem por leis próprias a desburocratização do acesso do cidadão aos seus direitos”, completa a justificativa.

Também foi vetada a previsão de que a lei entraria em vigor já nesta terça-feira, na data de publicação no Diário Oficial da União. “A norma possui amplo alcance, pois afeta a relação dos cidadãos com o poder público, em seus atos e procedimentos administrativos. Sempre que a norma possua grande repercussão, deverá ter sua vigência iniciada em prazo que permita sua divulgação e conhecimento, bem como a necessária adaptação de processos e sistemas de trabalho”, justifica o Executivo.

Share
14 nov 2018

O que você precisa saber para se planejar para a Black Friday 2018.

O que você precisa saber para se planejar para a Black Friday 2018.

No dia 23 de novembro, vai dar para achar de tudo em promoção, de ração de cachorro a passeio de helicóptero. A seguir, veja como aproveitar melhor o evento

A Black Friday 2018, evento mais importante do ano para o comércio eletrônico nacional, acontece no dia 23 de novembro, mas, na prática, as promoções se estendem durante todo o mês. Quem quer encontrar descontos que valem a pena de verdade precisa se planejar com lista de compras e pesquisa de preços.

O site oficial da Black Friday estima que a data movimente 2,5 bilhões de reais este ano, 19% a mais do que em 2017. Os consumidores devem gastar 607 reais, em média, segundo a Nielsen. O valor é 30% maior que o gasto médio de um dia comum.

Smartphones, televisões e eletrodomésticos são os produtos mais vendidos, mas dá para encontrar de tudo – de passeio de helicóptero à ração de cachorro em promoção.

“O evento cresce ano a ano desde 2010, quando começou no Brasil. Saber o que você quer comprar e quanto está disposto a pagar pelo produto é a principal dica para encontrar os melhores descontos no dia com rapidez, antes que acabem os estoques”, diz Ricardo Bove, diretor do site oficial da Black Friday.

Entre as pessoas que consumiram na Black Friday em 2017, 89% não tiveram nenhum problema com a compra, segundo uma pesquisa realizada com 9 mil pessoas pelo site comparador de preços Zoom. No entanto, entre as pessoas que não têm intenção de consumir no evento este ano, 65% não acreditam que os descontos são reais.

A seguir, EXAME responde às principais dúvidas sobre o evento, para quem quer se planejar e fugir de compras furadas:

1 – Quando será a Black Friday?

O evento oficial acontecerá no dia 23 de novembro, última sexta-feira do mês, a partir da meia-noite. Na prática, as promoções já começam na quinta-feira (22) por volta das 18h e duram todo o final de semana, até domingo (25). Além disso, 30% das ofertas são antecipadas durante todo o mês de novembro.

2 – Quando encontrar os melhores descontos?

Os estoques são limitados e as melhores ofertas se esgotam rapidamente. Por isso, as promoções mais agressivas são encontradas na noite de quinta-feira, a partir das 18h. “As 20 horas de quinta-feira viraram a nova meia-noite”, diz Bove.

3 – Quais lojas vão participar?

Cresce a adesão de lojas físicas à promoção, mas as lojas online ainda movimentam 80% das vendas na Black Friday.

No portal Black Friday, é possível encontrar as principais lojas de cada segmento que participam da campanha oficial do evento. Além da campanha oficial, outras varejistas de pequeno e de grande porte, físicas e online, realizam promoções.

4 – Quais produtos entram em promoção?

Smartphones, televisões e eletrodomésticos são os produtos mais buscados na Black Friday, mas é possível encontrar de tudo com desconto: móveis e artigos de decoração, roupas e acessórios, cosméticos, livros, games, alimentos e bebidas.

Passagens aéreas, pacotes de viagens e programas de milhagem também têm desconto, além de bens de alto valor, como carros e imóveis. Bancos, corretoras e casas de câmbio também realizam promoções de produtos e serviços financeiros.

5 –  Quais produtos têm os maiores descontos?

Em geral, quanto maior o valor do produto, menor o percentual de desconto. No ano passado, as categorias de produtos que tiveram os maiores descontos médios, segundo o site comparador de preços Zoom, foram: vaporizadores de roupas (31%), curvadores de cílios (21%), sanduicheiras (16%), CDs (14%) e colchões infláveis (16%).

6  – Como saber se as ofertas são de verdade?

O ideal é pesquisar os preços antes do dia do evento. Sites comparadores de preços como o Zoom, o Buscapé e o Bondfaro oferecem ferramentas para monitorar o histórico dos valores dos produtos. Assim, dá para saber se a empresa aumentou o preço nos dias anteriores à Black Friday e maquiou o desconto.

Vários sites também acompanham a oscilação de preços em tempo real no dia do evento, comparam com os valores praticados antes e identificam os descontos expressivos.

7 –  Como monitorar as melhores promoções?

Sites comparadores de preços criam páginas especiais para o evento, que filtram as melhores promoções e enviam alertas dos preços mais em conta por e-mail após cadastro. Entre eles, estão o Black Friday de Verdade, o Reclame Aqui e o Já Cotei.

Share
29 out 2018

Cenário econômico brasileiro após eleições.

Cenário econômico brasileiro após eleições.

O dólar opera em queda nesta segunda-feira (29), após Jair Bolsonaro (PSL) ser eleito presidente do Brasil e o futuro ministro da Fazenda, Paulo Guedes, dizer que a prioridade será a reforma da previdência. Às 10h45, a moeda norte-americana caía 0,34%, vendida a R$ 3,6388.

A moeda chegou a ser negociada a R$ 3,5823 no início da sessão. Desde maio, a moeda não era negociada abaixo de R$ 3,60 – no dia 10 daquele mês, o dólar fechou em R$ 3,5461.

Em seu discurso após ser declarado vitorioso, Bolsonaro prometeu respeitar a Constituição, fazer um governo democrático e unificar o país, além de defender compromisso com a responsabilidade fiscal.

Paulo Guedes declarou que buscará zerar o déficit fiscal, fazer a reforma da previdência e do Estado, acelerar as privatizações, simplificar e reduzir impostos, além de eliminar encargos e impostos trabalhistas sobre a folha de pagamentos – medidas bem vistas pelo mercado.

Na esteira do otimismo, o Ibovespa, principal índice de ações do mercado acionário brasileiro, subia mais de 2%, atingindo máxima histórica intradia, acima de 88 mil pontos.

O Banco Central realiza nesta sessão leilão de até 7,7 mil swaps cambiais tradicionais, equivalentes à venda futura de dólares para rolagem do vencimento de novembro, no total de US$ 8,027 bilhões. Se mantiver essa oferta diária e vendê-la até o final do mês, terá feito a rolagem integral.

Na última sessão, na sexta-feira (26), a moeda dos EUA caiu 1,39%, vendida a R$ 3,6518 – menor patamar desde 24 de maio (R$ 3,6471).

Na semana passada, o dólar acumulou queda de 1,64%. No mês de outubro, recuava 9,56% até dia 26. No ano, a moeda acumula alta de 10,21%.

De acordo com a Reuters, o recuo do dólar ante o real já durante a corrida pelo segundo turno das eleições foi em decorrência da precificação da presença do liberal Paulo Guedes na equipe de Bolsonaro como ministro da Fazenda, responsável por implementar medidas caras ao mercado, como ajuste fiscal, privatizações e reforma da Previdência. Mas esse otimismo entre os investidores só vai se manter se a agenda reformista andar.

“O mercado confia no Paulo Guedes, há a crença de que ele pode atrair investimentos grandes e duradouros para o país, o que significa que pode entrar bastante dinheiro no Brasil e o dólar vai ficar mais barato”, avaliou à Reuters o diretor de operações da Mirae Asset, Pablo Spyer.

Desta forma, entre os profissionais do mercado, segundo a Reuters, a moeda entre R$ 3,60 e R$ 3,70 seria um bom intervalo de preços para esse cenário principal imediato, com potencial adicional de queda com novidades que agradem o mercado, como a confirmação de que Ilan Goldfajn pode permanecer na presidência do Banco Central, cargo que ocupa desde junho de 2016.

A projeção do mercado financeiro para a taxa de câmbio no fim de 2018 recuou de R$ 3,75 para R$ 3,71 por dólar, segundo previsão de economistas de instituições financeiras divulgada pelo boletim de mercado, também conhecido como relatório “Focus”. Para o fechamento de 2019, permaneceu estável em R$ 3,80 por dólar.

Share
25 out 2018

Obra criada por inteligência artificial é leiloada por mais de US$ 400 mil

Obra criada por inteligência artificial é leiloada por mais de US$ 400 mil

A Christie’s, uma das mais famosas casas de leilão do mundo, vendeu pela primeira vez uma obra de arte criada por uma inteligência artificial. Trata-se da impressão de uma gravura gerada pela plataforma criada por um coletivo francês chamado Obvious, que usou uma rede adversarial generativa (GAN) – um algoritmo de machine learning – que foi treinada para estudar pinturas históricas e fazer sua própria criação com base nisso.

Esperava-se que a ilustração fosse vendida por algo em torno de US$ 10 mil, algo perto de R$ 37 mil, mas o resultado final impressionou a tradicional casa de leilões, já com seus 252 anos de funcionamento. A obra criada pela inteligência artificial arrecadou US$ 432,5 mil, aproximadamente R$ 1,6 milhões, mas o comprador preferiu se manter no anonimato.

Em uma declaração pública, o coletivo Obvious afirmou: “Somos gratos à Christie’s por abrir esse diálogo na comunidade de arte e honrados por fazer parte dessa conversa global sobre o impacto dessa nova tecnologia na criação de arte”.

Share
22 out 2018

Nova Plataforma de Cobrança

Nova Plataforma de Cobrança

A Nova Plataforma da Cobrança é um sistema para modernizar o processo de liquidação dos boletos bancários, com mecanismos que trazem mais controle e segurança a esse meio de pagamento, para garantir mais confiabilidade e comodidade aos usuários.

Uma iniciativa do setor bancário, após as instituições financeiras entenderem que o sistema de liquidação para os boletos bancários precisava ser modernizado. De fato, esse sistema não havia passado por uma modernização desde quando os boletos de pagamento foram criados, em 7 de outubro de 1993, por meio da Carta Circular nº 2.414, que determinou procedimentos para a implantação da compensação eletrônica de cobrança.

Em operação desde julho de 2017, quando passaram a ser processados os boletos de valor igual ou acima de R$ 50 mil, a Nova Plataforma vem gradualmente, incorporando os montantes inferiores a esse valor à sua base de dados. A mais recente etapa do cronograma para funcionamento do novo sistema começou em março, com a incorporação dos boletos de valor igual ou acima de R$ 800,00.

A partir de 24 de março de 2018, os boletos de cobrança de valores igual ou acima de R$ 800,00 passarão a trafegar pela Nova Plataforma da Cobrança para processamento das informações de pagamento, possibilitando aos consumidores maior conveniência e segurança na operação.

CRONOGRAMA

  • A partir de 25 de agosto/2018 – R$ 400,00 ou mais
  • A partir de 13 de outubro/2018 – R$ 100,00 ou mais
  • A partir de 27 de outubro/2018 – R$ 0,01 ou mais
  • Em 10 de novembro/2018 – processo concluído, com a inclusão dos boletos de cartão de crédito e de doações, entre outros.

Desta forma, a partir de 10 de novembro de 2018, todos os boletos que passarem pela Nova Plataforma deverão estar adaptados ao novo sistema, inclusive aqueles de cartão de crédito e de doação, entre outros, conforme cronograma acima.

Mais informações em: https://portal.febraban.org.br/pagina/3150/1094/pt-br/servicos-novo-plataforma-boletos

Share
14 out 2018

Novo Telefone do Criador do Android pode usar I.A para Responder Mensagens

Novo Telefone do Criador do Android pode usar I.A para Responder Mensagens

Andy Rubin, programador mais conhecido por ser o pai do Android, vem tentando criar um dispositivo inovador há alguns anos e sua companhia, a Essential, chegou a entregar o Essential Phone no ano passado. Ainda que ele não tenha sido bem-sucedido comercialmente e sua segunda versão até mesmo estaria no limbo, uma reportagem do Bloomberg indica que o desenvolvedor não desistiu e pensa em um aparelho com funcionalidades envolvendo inteligência artificial (IA).

Essential teria paralisado projeto de smart speaker para se dedicar ao novo telefone

Ao invés de ser uma ferramenta para turbinar os recursos do telefone, a própria IA seria o principal destaque do produto. Ela seria utilizada como forma de “libertar os usuários” de suas máquinas, para que todos possam fazer outros afazeres ao invés de estarem presos o tempo todo às ligações, notificações e o hábito de ficar olhando para a tela a cada minuto.

Para isso, esse celular teria um design diferente e poderia realizar ações automatizadas e controladas pela IA, em especial responder mensagens — sejam as textuais ou vocais. O desenho dessa novidade iria contra a tendência atual da indústria, com uma pequena tela, e as interações seriam realizadas por meio de comandos orais.

O Essential Phone, que até agradou os especialistas mas foi mal nas prateleiras. Fonte: Essential

O smartphone seria especialmente útil para o cotidiano corporativo, pois teria uma interface dedicada para gerenciar agenda e calendário, além de enviar emails e SMS e fazer chamadas. Grande parte dessas tarefas poderia ser realizada pela própria IA, sem que você tivesse que se preocupar com as mesmas ao longo do dia. Rubin estaria até mesmo pensando em algo que possa unir todas as habilidades da Alexa, da Google Assistente e da Siri em um só canal.

O projeto estaria sendo levado muito a sério na Essential e empresa até mesmo teria pausado o desenvolvimento de um alto-falante inteligente para destinar os recursos e o tempo de trabalho à essa nova empreitada. Por enquanto, não há mais detalhes sobre prazos ou preços e nada de confirmação oficial. E você, o que achou dessa ideia?

Share